Homens de verdade têm CURVAS

setembro 13, 2017


Afinal o que gostam as mulheres?  O que as deixa completamente derretidas no sexo oposto?
Aparte de todas as coisas óbvias como ser meigo,  genuíno,  humilde e com maturidade,  Será que as mulheres gostam de tudo isso ou preferem o verdadeiro bad boy?

A verdade é que as mulheres sentem-se tristes e com pouca auto estima quando Os homens se babam para aquelas modelos de rabo jeitoso,  boa mama e cintura fininha.  Com os tempos que correm, no geral, os homens preferem mesmo uma mulher com uma boa coxa e anca para agarrar. E quando eles dizem isso eu realmente acredito que seja verdade.

E nós, mulheres?  Afinal também gostamos de homens com curvas ou é só hipocrisia da nossa parte?

Por muito que eu faça punho pelo nosso sexo, nesta tenho que vos virar um pouquinho as costas e defender os rapazes.  Depois de investigar um pouquinho junto das minhas amigas,  familiares e das minhas seguidoras cheguei à conclusão que a maioria das mulheres gostam de homens altos,  morenos,  com tatuagens,  bem definidos,  com tanque para lavarmos as cuequinhas e com ar de malandro.  O típico bad boy.

Ora bem e então o rapaz que não gosta de ginásio e que tem medo de agulhas?  Que tem aquela "pançinha" de passar algum tempo sentado sem levantar pesos?  Não deveríamos nós também preferir um homem com curvas?

Atenção que este artigo não é para ser uma futilidade sem salientar que o interior é que realmente importa porque isso toda a gente deveria saber.  O que vale andar com um armário ao lado se nem dá para guardar a vossa roupa?  Ou tirar.  Depende.  O que adiante um monte de músculos com um cérebro do tamanho de uma ervilha?
Mas se estamos a falar do que nos salta à vista,  vamos falar do que nos salta à vista.

Um estudo qualquer que li na internet,  sabem que na internet encontra-se de tudo um pouco, realizado por um famoso cientista que nuca ouvimos falar e certamente não descobriu a cura para a estupidez humana concluiu que as mulheres gostam de homens "cheiinhos". Cheiinhos de amor,  cheiinhos de grana e cheiinhos de tempo para tirar férias num paraíso sem tornados ou terramotos, num lugar com palmeiras bla bla bla bla.  Fora de brincadeiras esse cientista chegou mesmo á conclusão que as mulheres gostam de homens com um bocadinho de barriga e não acham piada nenhuma a armários,  antigos modernos ou fáceis de montar como os do ikea.
Certamente esse cientista não estudou as mulheres que eu conheço pois estas têm gostos mais...  Refinados...  Esquisitos vá.

(Imagem retirada do instagram @frasesdemerda)



Por isso,  mulheres,  aquele bichinho raro e complicado,  obra prima da Natureza somos dotadas de uma hipocrisia tamanha pois queremos que os homens apreciem as nossas curvas, que ignorem a nossa celulite mas continuam a fantasiar com aquele moreno do instagram,  modelo da vogue que fica bem de fato Calvin Klein e fato de treino da adidas,  com tatuagens nos braços,  sorriso malandro...  Enfim...  E não aguentamos uma barriguinha de refrigerante e um bocadinho de pêlo no sovaco.  Que vergonha.

Concluindo este estudo da não menos famosa cientista Denise,  garanto-vos que a única conclusão acertada é que os homens têm mesmo razão.  Mulher é macumba complicada mesmo!! Mas que é irresistível, lá isso não podem negar :)




Uma rapariga como tantas outras

agosto 28, 2017



Eu nasci rapariga e com isso inúmeras coisas perseguiam-me mesmo antes de eu nascer. Os fatinhos cor de rosa, os laços para o cabelo, os nomes fofinhos como princesinha. Eu nunca quis ser princesa.
Eu nasci e era menina por isso toda a gente me oferecia bonecas, barbies, e tudo ok com isso, eu gostava de bonecas, eu gostava de cor de rosa, porque mal eu nasci fui obrigada a gostar dessas coisas. Os pais tentam tudo por nós e quase nos tratam como um nenuco quando nascemos impingindo-nos tanta coisa.  Não vejo isso como uma coisa negativa.  Negativo é os pais não aceitarem que eventualmente vamos crescer e dar uso ao nosso cérebro. É importante termos liberdade para pensar num mundo onde quase somos obrigados a engolir as regras de boa aparência da sociedade.

Quando eu cresci eu comecei a pensar por mim, já não queria ser princesa e não queria ser uma boneca. Não queria ser vista como um menina. Mas eu era uma menina e só por isso já tudo estava traçado. 

Na escola os rapazes chamavam-me de puta só porque sim, porque eu devo ter vestido uma mini saia e ao subir a escadas alguém deve ter visto um bocadinho de uma nádega. Que vergonha. Puta sem dúvida. Por eles acharem que era puta achavam que podiam apalpar-me, encostar-se a mim e dizerem coisas como "quero comer-te a c*na" e eu tinha que ouvir e engolir porque os rapazes são mesmo assim, está na sua natureza serem assim e na nossa natureza sermos umas putas se não andarmos tapadas até ao queixo,  se não concordamos com tudo que nos ensinam e pior de tudo se não formos o que é suposto sermos.

Lembro-me de quando andava no 6• ano,  ou seja tinha 11 anos,  dois rapazes uns quatro anos mais velhos que eu me terem agarrado no jardim da escola enquanto toda a gente corria para o autocarro,  terem passado a mão nas minhas pernas,  terem levantado a minha saia e passarem a mão na minha vagina ao ponto de me rasgarem as meias.  Por muito que eu os afastasse de mim e gritasse com eles eu lembro-me de eles se rirem e dizerem "shiuuu que tu gostas" "shiuu que tu queres". Não, eu não queria nada,  e não gostava de nada. Eu não lhes pedi que me tocassem e eles não tinham o direito de me tocar.  Felizmente aquilo ficou por ali.  Podia ter corrido pior se fosse noutro lugar. Lembro-me de ter ido para casa a pensar que se calhar a culpa foi minha,  que eu fazia por isso porque dava confiança a mais porque deixava os rapazes abraçarem-me e mandarem piadas.  No dia seguinte acordei outra pessoa porque esse episódio mudou em tudo a minha vida e a minha maneira de pensar.  

Com o passar dos anos eu tornei-me diferente e deixei de aceitar que por ser rapariga teria de engolir sapos, não poderia andar de forma provocante, porque estaria a pedir para ser enxovalhada, vitima de sexismo. Então decidi revoltar-me e ser aquilo que me apetecia ser. Dizer mais que aquilo que sentia. Ofender como arma de defesa  porque eu não queria mostrar que aquilo me afectava. E quando pensamos que isto era coisas de canalha, porque a idade justifica muita coisa segundo os adultos, as coisas não melhoraram.
Estava para nascer a pessoa que me iria estabelecer regras de quem eu deveria ser.

Quando deixei a escola e comecei no mercado de trabalho a coisa ficou preta. Muito preta.

Porque como eu era um bocadinho diferente, refilona e sabia bem aquilo que queria, as pessoas automaticamente pensavam que eu era drogada, andava nos maus caminhos. Eu já ouvi coisas muitas más, já me acusaram de coisas más, já me disseram coisas horriveis e já me fizeram coisas dificeis de suportar. Tudo porque eu me recusei desde sempre a ser a princesa que deveria ser. A "dar-me ao respeito", a ser discreta e não me envolver em merdas. 
Porque sempre lutei por aquilo que sou e por aquilo em que eu acredito as pessoas acham que eu aguento tudo e como sou tão "forte" dizem-me tudo e mais alguma coisa. Com todo este stress psicológico passei por merdas que hoje me parecem impossíveis de acontecer, pelos menos à pessoa que sou hoje. Com isto chegou a falta de auto estima, a falta de confiança no meu corpo a pressão por ser magrinha, por deixar de comer e ser infeliz só porque algo me dizia que eu só seria bonita se tivesse 20kg a menos. E quando bati no fundo e quase fiquei doente ainda não era o suficiente porque afinal as mulheres querem-se com curvas.


Já me pediram coisas absurdas, usar o corpo para conseguir alguma coisa, só porque achavam que os homens me achavam piada por todas essas diferenças e por todas essas diferenças as pessoas achavam que alguma vez eu iria sujeitar-me a ser um objecto para bem de pessoas alheias. O sexismo é real e está em todo o lado e enquanto deixarmos que as pessoas nos ditem o que queremos e devemos ser as coisas nunca vão mudar.

As pessoas acham que me conhecem só por falar abertamente no meu blog, mas o facto engraçado é que talvez seja a maneira de mudar a mentalidade das pessoas uma de cada vez. Porque ás vezes eu acho que essa é a minha missão neste mundo. Daí eu ter criado este blog, para mostrar que não precisam de ser um parasita para serem imunes ao vírus. E eu vou continuar a falar de sexo como se fosse uma coisa normal, porque é uma coisa normal, e quanto mais se falar nisso mais rapidamente se torna em algo natural, porque muitas pessoas ainda não caíram na realidade que os pais tiverem de dar umas cambalhotas para estarem neste mundo. Muita gente esqueceu-se do buraco de onde saiu com certeza. 



Só para relembrar, ter tatuagens não significa que ando nos maus caminhos, a não ser que a estrada para a loja de tatuagens esteja em más condições, aí podem dizer que ando mesmo nos maus caminhos. Usar decote ou meter um dedinho na boca não significa que estou mortinha para ter uma noite louca e que estou aberta a propostas indecentes. Ter uma cor de cabelo pouco vulgar não significa que preciso de atenção de alguém, quando eu sentir que preciso de chamar a atenção de alguém significa que essa pessoa não merece o esforço. Não deveria ser necessário "chamar" a atenção seja de quem for. A não ser que seja o vosso idolo, aí GRITEM.



Eu sou uma mulher livre.  E a minha liberdade diz-me que posso vestir o que me deixar confiante,  que posso usar a cor de cabelo que me fizer feliz,  que posso ser sexy sem ser chamada de puta,  que posso tirar uma foto provocante e publicar nas redes sociais que isso não significa que eu quero foder com alguém.

Eu gosto de mim.  E por gostar de mim eu quero e vou ser sensual, para mim.  Por gostar de mim eu vou tapar os ouvidos para não me deixar afectar por palavras estúpidas e vazias.  E por gostar tanto de mim eu torno isto público para mostrar que eu vou ser sempre EU e não há nenhum filho da mãe que me faça pensar o contrário.



Fumaça de Desejos

junho 19, 2017


Não aproximes a tua chama da minha alma que eu sou pura dinamite. 
Não questiones se me queres porque é possível que não aguentes com uma explosão. É perigoso mas sensual e tu queres perder-te na fumaça de desejos improváveis com pessoas impossíveis e amores incompatíveis.
Desejas? Não me desejes que eu sou louca!! Falo mais que palavras e sinto mais que sentimentos. O meu sabor é puro veneno e enfraquece a essência dos já enfraquecidos. Sou luz dominante e consigo cegar-te a ponto de não conseguires ver o que está por detrás da minha mascara. O amor não é amor e não te amo de forma alguma. 
 Uma vez que fores meu não haverá outra forma de seres seja de quem for, porque tudo em mim te vai prender.

Eu sou uma merda a amar e tu és uma merda no amor e podes até beijar os meus lábios mas não os deixo consumir a minha alma. 
Posso até agarrar o teu corpo e desejar-te friamente mas nunca deixarei o meu corpo pertencer-te pois quero só ver-te perdido sem me perder no encanto contigo.

Serás louco como eu ou ficas só fascinado com a loucura?

Ninguém disse que a loucura, as mordidas e os risos maléficos, as horas perdidas em olhares os toques leves e discretos, as promessas que não valeram nada, as mentiras verdadeiras e as verdades mais que falsas, tudo louco, somente louco, tão louco... ninguém disse que não era complicado.

Gosto mais que me observes, que me vejas deslizar, suar e imagines... só, nessa tua mente perversa que me despe de desejo, que me consome na loucura e que devora cada pedaço da minha pele. 

Perdeste-te no meu desejo porque eu não te quero, vou fingindo só que sou tua para te escapar pelos dedos. Deixa-te só com uma tusa louca que dá vontade de me agarrar, prender e fazer sei lá bem o que... Não ne ames!! 

Eu deixo-te tocar só um bocadinho se prometeres que não te apaixonas,  se prometeres não me desejar com tal obsessão e me deixares ir porque eu não sou pessoa de ficar. Não aqui!  Não contigo! 

Que os orgasmos sejam palavras tenebrosas que digam tudo em todos os silêncios e gritos calados que digo e finges que não ouves, porque aguentar os gemidos e a respiração acelarada de uma paixão fingida é tortura, é calma, é veneno psicológico que não faz sentido em sentido nenhum, no que quer que seja que eu te faça sentir.

Ouvir te dizer o meu nome é como um leve suspiro depois de uma noite quente onde todo o meu corpo tremeu imaginando ser teu.  Imaginando sentir cada pedaço da tua pele enquanto me contorço sozinha neste lençol. Eu sei que observas.  E ficarás só assim... A observar... porque emoções assim não são para ti e para esse teu coração tão fraco.




Coisas "sexuais" que as mulheres gostam mas não admitem

maio 16, 2017

Apesar de achar que cada caso é um caso e provavelmente nem todas as mulheres concordam com estes pontos,  de modo geral reuni 5 "prazeres" no sexo ou em algo relacionado com o sexo que as mulheres gostam mas não o admitem. Pelo menos a maioria delas.  
Alguns destes pontos são quase tabu no feminino porque as mulheres ainda são vistas como um ser menos sexual que o homem, sendo assim é difícil para a maioria admitir certos gostos ou ter certos prazeres com medo dos olhares alheios.
  A minha opinião vocês já sabem.  Sou uma defensora da mulher como um ser sexual que sente prazer e desejo assim como o homem.  Sem diferenças.
 Todavia ainda precisamos de correr um longo caminho para isto ser apenas mais uma coisa "normal" e não tanto como um tabu.

1. Masturbação. Este talvez seja o ponto mais tabu de todos.  Isto porque a masturbação feminina ainda não é vista como algo natural.  A masturbação para além de ser benéfica para a prevenção de doenças cardiovasculares ajuda no control de stress e na estabilidade emocional (li isto algures na internet e se está na internet automaticamente torna-se uma verdade).  Basicamente a masturbação tem tudo de bom para o nosso corpo e para a nossa mente.  A exploração do nosso corpo devia ser quase como obrigatório para percebermos o que nos dá mais prazer e qual a forma mais satisfatória de atingirmos o orgasmo por exemplo, através da estimulação.
Muitas mulheres não o admitem e até acredito que muitas nem o façam, pois a masturbação é quase "coisa do diabo" e muito masculina.  O mais engraçado é que este preconceito parte muito da própria mulher. Masturbação é benéfica por isso deixem-se de "merdices" que ninguém vai ser beatificado.  O maior pecado está na nossa mente poluída de preconceito e não na exploração do nosso corpo.  A melhor maneira de descobrir algo de errado é sabermos explorar. Por isso para quem tem comichão o melhor remédio é mesmo coçar.



2. Dupla penetração. Muitas mulheres não o admitem mas a grande maioria sente um enorne prazer com a estimulação do ânus juntamente com a vagina.  Somos bem capazes de ir até marte dar duas de treta com um marciano e voltar à terra (isto porque ver estrelas está demasiado batido)  com um simples dedinho no ânus quando o nosso companheiro explora a vagina seja com a boca ou com as mãos e até mesmo com a penetração do pénis. Aliás até acredito que seja dos melhores orgasmo.  Ainda há aquelas mulheres que são mais atrevidas e gostam mesmo do uso do vibrador na vagina enquanto fazem sexo anal ou vice versa.  Se ainda acreditam que para ir ao espaço precisam de um foguetão é porque ainda não experimentaram dupla penetração (ainda dizem que não escrevo poesia).



3. Sexo com dois homens ou com uma mulher . Este ponto vem um pouco de encontro com o ponto acima. Acho que a grande maioria das mulheres sentem vontade ou pelo menos curiosidade de uma festa da mangueira. Aquela imagem de ter dois homens a controlar a mulher pode ser tanto aterradora como excitante.  Apesar de ser uma fantasia e nem sempre ser realizada na minha convivência com outras pessoas do sexo feminino reparo que é um tabu dificil de quebrar.  São raras as mulheres que o admitem pois uma grande maioria tem medo de ser chamada de nomes menos simpáticos. Ser chamada de "puta" vá. Porque na cabeça de uma grande parte das pessoas que me rodeiam uma mulher querer estar com dois homens é quase inaceitável mas um homem estar com duas mulheres, no típico ménage à trois,  é melhor visto porque "é normal...  Os homens tem esses desejos"... A treta do costume.  Vocês já sabem.
Também há aquela faceta de muitas mulheres terem o desejo secreto de estar com outras mulheres.  O ser humano é um ser curioso que gosta de descobrir e investigar e normalmente os desejos mais complexos são aqueles fora do comum e que podem por em causa algumas crises de identidade. "afinal gosto de mulheres? ". Desejar estar com alguém do mesmo sexo não significa por em causa a nossa sexualidade apenas algumas mulheres querem dedicar-se às lidas mais domésticas como passar o corredor a pano.

4. Sexo com a menstruação. "que nojo"... Até pode ter uma vertende de nojo e de gore mas como a mulher está muito lubrificada e mais sensível, ter relações com a menstruação é simplesmente divinal.   Todo o nosso corpo fica mais frágil, os mamilos arrepiam-se com mais facilidade e o mínimo toque faz-nos ficar completamente ardidas.
 Acredito que muita gente sinta desconforto ou vergonha mas parte de vocês sentirem confiança suficiente no vosso parceiro para o fazerem.   Por vezes a vergonha está em nós mesmas e o grande segredo é uma conversa aberta onde ambos estejam de acordo.  É só sangue.  Se for feita uma boa higiene e usarem preservativo não se torna constrangedor. Sim,  há  a probabilidade de o pénis sair da vagina coberto de sangue mas pensem nisso como a matança da salsicha.

5. Ver Pornografia. Ver pornografia não faz de nós porcas ou taradas sexuais, como muita gente acha.  Não precisam de pornografia para serem taradas sexuais, apenas precisam de uma chanfrinha a arder.  Ver porno ajuda a tirar ideias,  falo claro de porno de qualidade não daquele porno com títulos "loira mamalhada leva com bergalho na boca" isso é lixo. Não vejam esse tipo de pornografia senão vão passar a vida a fazer broches e a levar com sémen na cara sem tirarem prazer disso.  Mulher que vê porno vê porno de qualidade no geral para dar aquele toque ao parceiro de "amor é assim que se faz"...


E agora?  Quantas vão admitir? 

Como saber se és uma amiga de merda

maio 02, 2017


O artigo de hoje será um manual de sobrevivência para subsistir a esta praga que afecta "um pouco" a nossa sociedade.
Que praga é esta? Perguntam vocês.
Esta praga/vírus como lhe quiserem chamar,  apodera-se da vossa vida em forma humana (não, não é uma força extra terrestre que invadiu o nosso planeta para analisar a vossa mente).  Vestem-se de amiga,  amiguinhas,  migas, irmãs e imensos outros nomes...
Apesar desta praga ter sido descoberta em séculos passados propagou-se até aos dias de hoje e as vacinas inventadas anteriormente parecem não ter o mesmo efeito dado que o virus se alastra "cancerosamente".
Sendo assim,  vou dar-vos alguns sintomas comuns desta nova peste negra para vos ajudar a fazer uma auto avaliação de consciência, não vá o vosso caso estar avançado e serem uma verdadeira falsiane.


1. Se por acaso dás por ti,  em conversa com uma amiga ou conhecida a seres "desbocada" em relação a outra pessoa (basicamente se falas mal de outra tua amiga como o carailho)  e continuas com merdices a identificá-la em frases no facebook de amizades para a vida,  imagens "tumblr" de amizade infinita...  Cuidado! Estás infectada. No entanto algo que poderá amenizar esse sintoma é o uso do espelho.

*Uso do espelho : Colocas a tua pessoa contaminada em frente a um espelho e ficas a olhar a tua personalidade podre durante uns minutos.  Caso este método não te ajude a ser mais consciente lamento,  mas és oficialmente uma pessoa estúpida.







2. Se és aquela pessoa que precisa de se aproximar das pessoas com alguma intenção, como arranjar o cabelo ou ter meia dúzia de seguidores na tua pobre página do facebook... Cuidado. Estás infectada. A única cura para ti é levantares essa bunda seja de onde for e começares a fazeres algo de valor, (em vez de te limitares a ser a "amiga" sombra que precisa de um empurrão para chegar a algum lado), dedica-te a fazer montras, por exemplo, porque o único brilho que irás ter é o reflexo do sol a bater nos vidros.








3. Se dás por ti a rebaixar a tua amiga, como por exemplo "eu gosto mas acho que não tem nada a ver contigo" quando sabes que aquela pessoa está completamente a arrasar e a deixar-te a morrer de inveja... Cuidado. Estás mesmo contaminada. A solução para esse sintoma é calares a boca e engolir a azia.  Se é fodido ver alguém que tem o que nós queremos, que arrasa naquela cor de cabelo brilhante, com aquele vestido decotado, com aquele ar de vadia que tu tanto detestas porque pareces uma boneca de trapos... é caso para dizer temos pena. MUITA PENA.









Se nenhum desses sintomas se aplica a ti, então estás oficialmente vacinada contra esta praga. As falsianes. No entanto olha á tua volta, e procura estes sintomas nas tuas amigas. Ajuda-as. Manda-as para o carailho (com certeza a maioria vai a correr que elas até gostam).
Eu já me livrei das minhas. E não foi preciso dizer-lhes uma única palavra porque elas falam entre elas "ai nunca mais disse nada" "está diferente", sim estou diferente. Estou mais esperta. 

Não queiram pessoas tóxicas na vossa vida. Nunca achem que aquela pessoa que passa a vida a falar mal de toda a gente é vossa amiga. Não é. É falsa e faz o mesmo com vocês. Limpem a vossa vida desses vírus. Vacinem-se, que com a convivência com tantas cobras ainda ficam infectadas com o veneno.






Mais que a rapariga que escreve porno

abril 03, 2017


É tão difícil escrever sobre mim.  De mostrar no mundo virtual quem eu sou.
Sempre me descrevi como uma daquelas pessoas que,  ou gostas muito,  ou não gostas mesmo nada.

Sempre achei que era mais amarga que doce mas com os anos tornei-me mais doce.  Detesto.  Detesto mesmo.  Mas é daquelas coisas que não conseguimos evitar. Do nada fiquei mais sensível e choro mais facilmente. Mas não me vão ver chorar.
Sinto-me igualmente mais frágil no entanto sinto-me capaz de aguentar tudo porque a maioria das merdas passam-me completamente ao lado.

Sou mais diabo que anjinho mas sou inofensiva. Não tenho tendência a ser uma cabra e não faço mal a ninguém mas se me pisarem os calos eu sou vingativa,  manipuladora e insuportável. Farei de tudo por uma vingança daquelas nem que isso implique prejudicar-me também.

Tenho uma mente demasiado aberta para o meio onde vivo e sou extremamente feminista. Não acho que o meu lugar seja na cozinha ou a lavar as cuecas de um marido.  O meu lugar é onde eu quiser e onde for feliz.

Quero ser livre para sempre. Quero usar o que quero onde e como eu quiser porque a minha vida só me pertence a mim e apesar de a querer dividir com as pessoas que amo jamais permitiria que elas tomassem conta dela...

Sinto-me a protagonistas da minha própria história e estou-me a cagar se isso soa ou não a arrogância. A minha vida é esta e quem não gostar pode ir viver a sua.

Sou mandona.  Gosto de tudo à minha maneira.  Eu estou quase sempre em primeiro lugar porque ninguém me vai colocar em primeiro lugar por isso faço de mim o mais importante.  Não é ego alto.  É uma questão de personalidade... 

Eu escrevo sobre sexo porque gosto de sexo.  Podia simplesmente guardar para mim ou não falar sobre isso mas eu não vejo sexo como tabu para mim é como falar de uma ida ao cinema ou de flores.  No entanto sou mais que "a rapariga que escreve porno" como alguns dizem...

Eu não escrevo porno ou conteúdo pornográfico. Eu falo de sensualidade e erotismo porque na maioria das vezes é bem mais excitante que a história do canalizador que fodeu a tua mãe em doggy style no sofá da tua casa.

Eu sou uma pessoa de estímulos mentais.  Uma pessoa que sabe estimular a minha mente tem com certeza poder sobre o meu corpo.

Não sou dominadora nem gosto de dominar mas para ter o que quero sou extremamente manipuladora e não há pessoa que me faça miar baixinho.

Não sou uma pessoa religiosa e não acredito em histórias da carochinha,  no entanto sei respeitar a opção de cada um porque religião é uma opção. Ou acreditas no que te ensinam ou guias-te pela tua cabeça. Eu escolhi a segunda opção.

Sou feliz da maneira que sou e por muito que digam que estou errada e que "não posso ser assim" eu nunca irei guiar-me pelas outros vou sempre seguir a minha vontade.

A perfeição aborrece-me.  Eu gosto de palavrões, gargalhadas, rir muito.  Geralmente eu sou sempre a pessoa que quebra todas as regras.  Sempre fui e acho que isso é daquelas coisas que por muito que os anos passem nunca vai mudar. 

Sou daquelas pessoas que erra.  Cometo várias vezes o mesmo erro até perceber que realmente foi um erro.  No entanto tenho tendência a não perdoar o erro dos outros.  Egoismo?  Talvez.  Ainda estou a tentar perceber como lidar com isso. 




Enquanto me tocas...

março 29, 2017

Enquanto me toco penso na tua voz. Enquanto sussuras ao meu ouvido tudo que me vais fazer.  Queres somente manipular me de beijos.  Percorrer com a tua língua o meu pescoço enquanto me acaricias a pele. 

Enquanto me toco penso no teu olhar que me despe sem mover a roupa e sussurras nos meus lábios as vezes que me vais beijar.  Queres somente manipular-me de desejo. Percorrer o meu corpo com as pontas dos teus dedos enquanto sentes a renda fina e preta das minhas cuecas. 

Enquanto me tocas penso na imagem pornográfica de nós os dois a amarmo-nos um ao outro sem amor. Quero somente manipular a tua alma enquanto enfeitiço o teu pensamento de imagens irresistíveis onde ambos estamos despidos de vergonha,  de medo e cobertos pelo prazer intenso enquanto me penetras lentamente e eu peço que dês tudo de ti sem te dar nada de mim.

Por ti ficaria apenas em silêncio se me fizesses gemer baixinho porque tu até manipulas as minhas palavras. Quando não quero dizer te nada consigo dizer-te quase tudo.  E enquanto eu não te toco vivo mais alegremente porque um toque teu dá-me arrepios mas não me dá vontade de correr mais rápido ou de ser mais louca apesar de me levares à loucura.  E se ambos somos loucos então esta história é mais doente que fodida. 

Não tenho nada para te dar. Enquanto me tocas eu não te toco porque nem sequer te desejo.  Apenas guardo a tua imagem com a vontade de sentir os teus dedos molhados pela vontade que o meu corpo sente em te ter e não te querer tocar. És meu sem eu ser tua mas deixo-te ficar só a observar enquanto eu me toco a pensar nas tuas mãos.

Odeio cada pedaço desta história. Odeio aquele cheiro a sexo no ar e o cheiro do teu perfume misturado na minha pele. 
Sai. Porque tu manipulas a minha vontade de desejar sentir-me suada,  molhada pela tua saliva enquanto me beijas entre as coxas e eu puxo os teus cabelos.  Porque eu quero que pares ou aquela vontade vai dar comigo em louca. 

Tocar te faz me desejar-te para sempre. Para sempre é demasiado tempo para te querer só para mim.